Equipamentos

GNSS: Você sabe quando utilizar?

GNSS: Você sabe quando utilizar?

No nosso último post falamos um pouco sobre o que é GNSS (Global Navigation Satellite System). Devido à grande utilização desta tecnologia surgem muitas dúvidas, uma delas é onde pode ser aplicada. Quer obter mais informações sobre a utilização do Sistema GNSS? Falaremos sobre esse tema no texto a seguir!

O GNSS

O Sistema GNSS é um Sistema Global de Navegação por Satélite, utilizado para determinação de coordenadas, onde uma constelação de satélites permite determinar o posicionamento e a localização de um ponto em qualquer parte do mundo, sob variadas condições climáticas.

Onde aplicar esse sistema?

O GNSS pode ser utilizado em diversas atividades com diferentes níveis de precisão, dependendo do receptor utilizado e da necessidade do trabalho a ser executado.

Veja a seguir tarefas onde essa tecnologia pode ser empregada:

  • Monitoramento de estruturas como, por exemplo, barragem de aterro, pontes, viadutos;
  • Coleta de dados para o Georreferenciamento de Imóveis Rurais;
  • Levantamento topográfico do terreno;
  • Localização e implantação em campo de pontos definidos em projetos;
  • Obtenção de dados georreferenciados em obras de diversos segmentos como sistemas viários e saneamento;
  • Cadastro de bens registrando as suas características. Esse cadastro é posteriormente utilizado por empresas e órgãos públicos que necessitam de informações geográficas georreferenciadas para estudos e tomada de decisões. Exemplo: cadastramento de linhas de alta tensão, postes, edificações para serem considerados no projeto de uma nova via;
  • Áreas de mineradora com o objetivo de auxiliar nas atividades que envolvem altimetria, cálculo de volume, cálculo de inventário de minério na locação de pontos de controle usados no monitoramento da estrutura da mina;
  • Agricultura de precisão coletando e analisando dados, mapeando a área, definição de área de plantio e aplicação de insumos necessárias na produção;
  • Realização de batimetria identificando a localização dos pontos onde foi determinada a profundidade;
  • Loteamento, sendo utilizado na subdivisão de áreas, denominadas glebas, em lotes, com aberturas de novas vias de circulação para ampliação, modificação ou prolongamento dos lotes existentes.

Utilizando o RTK

 A utilização do posicionamento Real Time Kinematic, conhecido como RTK oferece ao profissional uma maior agilidade, qualidade, rapidez, precisão e posicionamento em tempo real, ou seja, in loco.

Um receptor GPS/GNSS RTK é aquele que provê o posicionamento relativo cinemático em tempo real, uma técnica que vem evoluindo rapidamente e que permite ao operador obter informações, diretamente no campo, sem a necessidade de pós-processamento, e atingir uma posição milimétrica.

Para realizar os serviços de campo é necessário ter a posse de receptores GNSS, um coletor de dados e um rádio externo, sendo este último opcional. O rádio externo é utilizado com o objetivo de aumentar a distância de trabalho entre os receptores (Base e Rover).

O posicionamento dos pontos baseia-se na transmissão instantânea de dados (UHF, GSM, NTRIP) de correções dos sinais de satélites, do receptor instalado no vértice de referência (Base) ao receptor que percorre os vértices de interesse (Rover). Desta forma, o sistema proporciona o conhecimento em tempo real de coordenadas precisas dos vértices levantados. Esta técnica exige a disponibilidade de pelo menos uma estação de referência (Base), com as coordenadas conhecidas e dotada de um receptor GNSS e um rádio transmissor. A estação gera e transmite as correções diferenciais para as estações móveis, que usam os dados para determinar precisamente suas posições.

A Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo dos Sistemas GNSS em tempo real é um serviço para posicionamento em tempo real a partir de suas estações, para usuários que fazem uso da técnica RTK  com NTRIP nos seus levantamentos.

Para a utilização do Sistema RTK em campo deve-se realizar as seguintes operações:

  • Montagem da Base de Referência e do Rover;
  • Medir a altura da antena da Base;
  • Iniciar comunicação (Base, Coletora e Rover);
  • Realizar configuração dos equipamentos (Base, Coletora e Rover);
  • Inserir coordenada conhecida no ponto de referência (Base);
  • Coletar os pontos de interesse;
  • Após o término da coleta de pontos exporta-los para análise no escritório.

Ficou claro como essa tecnologia pode auxiliar na realização dos seus trabalhos? Tem interesse em locar ou adquirir o seu equipamento? Entre em contato com a nossa equipe de vendas! Quer contribuir conosco e sugerir temas do seu interesse? Converse com a gente pelas nossas redes sociais FacebookTwitterYoutube Instagram.

Sobre o autor

CPE Tecnologia

1 comentário

Deixar comentário.

Share This