Equipamentos

Descubra os erros mais comuns ao realizar um levantamento topográfico

Escrito por CPE Tecnologia

Um dos aspectos principais para garantir a qualidade de um levantamento topográfico é a realização de medições precisas e acuradas. Uma vez que esse tipo de levantamento serve de base para projetos de georreferenciamento, arquitetura e engenharias, é fundamental que todas as informações apresentadas sejam exatas. Do contrário, os erros poderão se propagar e causar uma série de prejuízos financeiros e de reputação. 

Mesmo com estritos requisitos de qualidade, um levantamento topográfico está naturalmente sujeito a erros. Isso se deve a uma combinação entre as condições do equipamento, a habilidade do profissional e as dimensões do terreno analisado, fatores que fazem com que nenhuma medida seja exata e que a ocorrência de erros seja inevitável.

Sabendo que todas as medidas contêm erros, o profissional responsável pelo projeto deve conhecer quais são as causas mais comuns desses desvios. Assim, ele poderá determinar a magnitude dos erros e avaliar se eles podem ser corrigidos mediante cálculos estimativos ou se será necessário realizar novas medições. Nesse sentido, o topógrafo também deve dominar a classificação desses erros, além de saber que decisões tomar frente a eles.

Neste artigo, você vai conhecer as principais causas dos erros em medições topográficas, além de suas classificações e as medidas que você pode tomar para minimizá-los ou evitá-los. Continue lendo e confira!

As principais causas de erros em um levantamento topográfico

Durante a realização de medições topográficas, os erros podem acontecer devido a três principais fatores:

Fatores naturais

Esses fatores derivam de variações ambientais e podem ocorrer devido à:

  • umidade;
  • pressão atmosférica;
  • retração atmosférica;
  • temperatura;
  • variações da declinação magnética.

Numa perspectiva prática, um exemplo de erro causado por um fator natural seria o dilatamento de uma trena, causado por variações de temperatura. Como medida preventiva, o melhor a fazer é realizar uma grande quantidade de medições, para, assim, poder compará-las e obter médias aritméticas dos resultados.

Fatores instrumentais

Esses fatores se relacionam com os equipamentos utilizados. Podem ser consequência de defeitos de fabricação, ociosidade ou falta de calibração. São erros facilmente reduzíveis ou elimináveis e necessitam apenas que o profissional adote procedimentos de utilização adequados e mantenha-se atento aos ajustes e às configurações dos equipamentos

Fatores pessoais

Esses fatores resultam das próprias limitações humanas, como capacidade de visão e tato. Diferentes operadores têm variadas capacidades de acuidade, impactando, por exemplo, na precisão de operações que dependem de pontaria sobre um alvo.

Por outro lado, esses erros também podem ser causados por falhas humanas mais grosseiras, como falta de atenção, cansaço ou inabilidade. Nesse sentido, os responsáveis pelas medições devem ser treinados regularmente.

Os principais tipos de erros em um levantamento topográfico

Quanto à classificação dos erros, eles podem ser de três tipos:

Sistemáticos

São  erros  produzidos por causas conhecidas podendo ser evitados através de técnicas particulares de observação ou mesmo eliminados mediante a aplicação de fórmulas específicas. São erros que se acumulam ao longo do trabalho.

Na prática, esses erros podem se manifestar como variações nas condições ambientais, balizas tortas, trenas não suficientemente esticadas ou dilatadas, equipamentos mal calibrados ou baixa acuidade visual do operador do equipamento.

Aleatórios

São aqueles que permanecem após os erros sistemáticos e grosseiros terem sido eliminados. São erros que não seguem nenhum tipo de lei e ora ocorrem num sentido ora noutro, tendendo a se neutralizar quando o número de observações é grande. Sua principal causa deriva de fatores que não podem ser controlados pelo topógrafo, e, por isso, também são chamados de acidentais.

Sua ocorrência não pode ser controlada, minimizada e nem eliminada, porém, é possível estimá-la. A melhor maneira de prevenir esse tipo de erro é realizando uma grande quantidade de medições, o que vai permitir neutralizá-los por meio do estabelecimento de um valor médio.

Um exemplo desse tipo de erro seria o desvio de pontaria na leitura de distâncias horizontais.

Grosseiros

Causados por engano na medição, leitura errada nos instrumentos, identificação de alvo, etc., normalmente relacionados com a desatenção do observador ou uma falha no equipamento.

Um exemplo de um erro grosseiro seria trocar a ordem dos números na hora de anotar uma medição, registrando 1,69 em vez de 1,96.

A forma de minimizar e evitar os erros em um levantamento topográfico

O primeiro passo para minimizar ou evitar um erro é dominar suas causas e tipos. A partir desse conhecimento, o topógrafo deverá estar atento à possibilidade de qualquer incidência, evitando ao máximo que ocorram erros grosseiros e prevenindo os sistemáticos.

Logo, o profissional deverá analisar os possíveis erros sistemáticos e aleatórios cujas ocorrências tenham sido inevitáveis. Em seguida, deverá estimar a magnitude dos erros, para os quais deverá implementar correções matemáticas ou, até mesmo, realizar novas medições.

Nesse sentido, existem alguns conselhos que podem ser seguidos na hora de realizar um levantamento topográfico:

  • estabelecer especificações de precisão e controle;
  • selecionar adequadamente o método e o equipamento a ser utilizado;
  • executar as medições com o maior cuidado e atenção possíveis;
  • garantir que os operadores dos equipamentos estejam treinados em seu uso;
  • manter os equipamentos adequadamente ajustados e calibrados;
  • realizar uma grande quantidade de medidas, o que vai possibilitar comparar os resultados, identificar possíveis erros e calcular médias aritméticas;
  • utilizar fórmulas de correção, como média aritmética e desvio padrão.

Infelizmente, não há como evitar que uma medição tenha erros. Eles são naturais dos próprios métodos de levantamento e derivam de uma série de fatores que, muitas vezes, não podem ser controlados. Porém, há como prevenir, minimizar e corrigir os erros sistemáticos e aleatórios, garantindo, assim, a qualidade do projeto entregue e, consequentemente, a fidelização do cliente.

Quanto aos erros grosseiros, é responsabilidade do profissional reduzir ao máximo sua incidência. Cometer esse tipo de deslize pode comprometer a confiabilidade do serviço e a reputação do topógrafo e da empresa. Essas incidências podem ser facilmente evitadas com treinamentos e uma atitude comprometida, atenta e cuidadosa, e, portanto, não há motivos para que um levantamento topográfico apresente esse tipo de equívoco.

Agora que você conhece os principais erros dos levantamentos topográficos e sabe como preveni-los e evitá-los, que tal continuar vendo informações úteis para sua atividade profissional? Manter-se informado é muito fácil, basta seguir nossas páginas nas redes sociais. Estamos no Facebook e no LinkedIn.

Sobre o autor

CPE Tecnologia

Deixar comentário.

Share This