Estação Total: descubra razões para investir

estação total

O mercado de topografia se estabeleceu com base em tecnologias extremamente eficientes. Afinal, é importante contar com ferramentas para otimizar certos processos. Por isso, uma das bases do serviço topográfico é a estação total – que é uma junção do teodolito e do distanciômetro eletrônicos. Mas muitos profissionais ainda têm dúvidas sobre seu funcionamento e fica a questão: vale mesmo a pena investir nesse tipo de equipamento?

Tire suas dúvidas nos tópicos a seguir:

  • Como funciona uma estação total?
  • Qual a sua importância para o trabalho topográfico?
  • Quais são os benefícios?
  • Quais cuidados devo tomar?
  • Quando custa e o que considerar na hora da compra?
  • Por fim: vale a pena investir?

 

Como funciona uma estação total?

A estação total foi criada para automatizar ao máximo os processos de medição. Trata-se de um instrumento eletrônico topográfico que faz medições de ângulos verticais e horizontais, além de distâncias lineares. Ou seja, oferece medidas planimétricas e altimétricas do terreno com exatidão.

Preparada para lidar com qualquer nível de inclinação e diferentes ambientes. Ela pode realizar a leitura com ou sem prisma, dependendo, apenas, do modelo utilizado.

A medição é efetuada da seguinte forma: a estação é posicionada em um local livre de obstáculos entre ela e o prisma, ou do local a ser medido, no caso sem prisma. A partir disso, um feixe de laser refletido pelo prisma que retorna ao equipamento. Assim, os dados gravados ficam salvos automaticamente na memória da estação e está pronta a medição.

 

Qual a sua importância para o trabalho topográfico?

Por meio do uso da estação total, é possível criar uma planta topográfica extremamente precisa — algo fundamental para situar uma obra em um terreno, por exemplo.

Além disso, ela permite a demarcação de pontos para que o profissional execute obras de terraplanagem, fundações, etc.

A fixação de pilares, por exemplo, é uma prática que exige alta precisão em seu planejamento. Qualquer centímetro de deslocamento pode comprometer a sustentação de uma estrutura.

Por isso, a estação total está entre os equipamentos mais valorizados pelos profissionais da topografia.

 

Quais são os benefícios?

Além de otimizar o trabalho dos profissionais e aumentar a qualidade do serviço, a estação gera uma importante redução de custos no processo.

Afinal, é importante um cálculo de impacto financeiro para mudanças em métodos de topografia em mineração.

Assim, a implementação dessa tecnologia gera um retorno significativo sobre o investimento, devido à precisão apresentada por esse equipamento.

Além disso, ela pode ser utilizada tanto em ambientes abertos quanto fechados — gerando uma boa redução de custos, pois não é necessário investir em diferentes ferramentas para cada categoria de terreno ou local.

O tempo de processamento de dados, por sua vez, é reduzido, se comparado ao modelo estatístico adotado pelos usuários de receptores GNSS.

Ademais, uma estação total é fácil de utilizar e manusear. O resultado é fácil de ser notado: a estação total se mantém presente no mercado e continua sendo uma ferramenta muito procurada no setor.

 

Quais cuidados devo tomar?

Por se tratar de um equipamento de alto grau de precisão, a estação total exige certos cuidados — principalmente no que diz respeito ao manuseio.

Durante a utilização, todo cuidado é importante. Evitar quedas, pancadas e até mesmo a exposição à chuva são formas de garantir o bom funcionamento da estação. É importante realizar uma manutenção periódica para garantir que desvios de medição não ocorram.

Todo cuidado é pouco ao lidar com um equipamento que desempenha um papel central nos processos topográficos.

Isso envolve também o armazenamento seguro — não só para evitar danos, mas para manter a estação total protegida contra fatores ambientais (calor, umidade etc).

Tudo isso para prolongar a vida útil do aparelho.

 

Quanto custa e o que considerar na hora da compra?

Como você pode ver, trata-se de um investimento bastante vantajoso. Toda empresa ou profissional autônomo que busca crescer no setor de topografia deve, em algum momento, adquirir uma estação total para ampliar seu poder de atuação.

Entretanto, é preciso considerar alguns pontos antes da compra.

Em primeiro lugar, você deve escolher entre dispositivos com ou sem a leitura do prisma. A diferença é simples, mas significativa.

Uma estação que não tem prisma pode realizar medições de forma rápida em pontos inacessíveis, além de ser capaz de medir também com o uso do prisma. Essas características dão a ela uma maior versatilidade em seu uso.

Entretanto, a leitura no prisma oferece uma precisão melhor quando comparada com a leitura sem prisma.

A escolha entre uma e outra vai depender dos objetivos de sua empresa. De qualquer forma, ambas as tecnologias oferecem um serviço de altíssima qualidade e praticidade.

Outro fator a ser considerado é o oferecimento ou não de um suporte e uma assistência técnica.

Por mais simples que seja a utilização, o auxílio de profissionais deve ser sempre considerado.

Assim como realizar a manutenção periódica, evitando que o equipamento deixe você na mão!

 

Vale a pena investir?

Os valores podem variar conforme a estação total que você busca, logo conhecer sobre as funcionalidades do equipamento é essencial!

É importante realizar uma pesquisa de mercado e comparar as funções oferecidas, o tempo de garantia, a qualidade da marca, as opiniões dos usuários e condições de pagamento. E não se esqueça de verificar quais das funções você realmente utilizará em suas medições!

Afinal, não é necessário um grande investimento inicial se um equipamento mais simples atende às suas necessidades.

Faça já uma avaliação de seus processos de medição e veja como uma estação total pode ser a ferramenta que elevará a qualidade de seus serviços a um novo patamar!

Quer a ajuda de especialistas para fazer a melhor escolha? Clique na imagem abaixo e fale com um consultor agora mesmo!

 

fale com um consultor CPE

Deixe um comentário