Seu negócio

Como cobrar por um serviço de topografia?

Escrito por CPE Tecnologia

O cálculo dos valores para a cobrança de serviços de topografia não deve ser um chute impreciso. Com uma avaliação cuidadosa do escopo do trabalho e das despesas, é possível elaborar uma estimativa exata e competitiva de quanto deve ser pago pela sua realização.

O erro na precificação do serviço de um topógrafo pode ser desastroso. Enquanto uma estimativa muito alta pode tirar o profissional de qualquer competição, valores abaixo dos custos podem fazer com que ele acabe pagando para trabalhar, inviabilizando o seu negócio.

Neste artigo, ensinaremos todas as etapas da precificação e cobrança de serviços de topografia. Aprenda!

Como fazer a cobrança de serviços de topografia?

Estimar um valor justo e preciso para um serviço de topografia não é um desafio exclusivo de quem está começando na área. Mesmo topógrafos veteranos podem se atrapalhar ao tentar superar ofertas de concorrentes ou ao negligenciar custos importantes deste trabalho.

Também não é raro encontrar profissionais que simplesmente tentam se basear nos valores praticados pelo mercado para cobrar de seus clientes. Só que na prática, o que funciona para um concorrente pode não dar certo em outro negócio, pois nem sempre os custos de cada topógrafo serão equivalentes.

Para realizar uma precificação eficiente, é muito importante seguir alguns passos. E o primeiro deles é conhecer o trabalho que será executado. Saiba mais adiante:

Avalie o escopo do serviço

Antes de tudo, converse com o cliente sobre qual será o escopo do serviço. Descubra informações básicas como o tamanho aproximado da área total que será estudada e qual o tipo de levantamento que precisará ser feito.

Em muitos casos, vale também uma visita ao terreno para verificar algumas condições gerais sobre o local. Com base nessas informações e na sua expertise, o topógrafo ou engenheiro agrimensor conseguirá entender premissas como o tempo que será investido na empreitada, os equipamentos que vão ao campo e a logística para a execução do trabalho.

Uma vez que o escopo do serviço está bem definido, claro e alinhado entre as partes envolvidas, é hora de começar a fazer contas para chegar em um preço justo e rentável para o trabalho.

Calcule as despesas fixas

A base do cálculo do valor de um serviço são as despesas fixas. Elas podem ser definidas como os gastos que não estão diretamente relacionados à produção e não variam significativamente de acordo com o volume e o escopo do trabalho.

Parcelas de equipamentos comprados no prazo, aluguel do escritório, contas de luz e despesas com contadores são algumas das despesas fixas mais comuns em qualquer tipo de prestação de serviços.

Uma vez que é conhecido o montante total das despesas fixas, é preciso ratear esse valor por uma estimativa de trabalho que será realizado em um período.

Por exemplo: se um topógrafo formalizado como empreendedor individual soma R$ 3.600,00 em despesas fixas ao longo de um mês e neste período trabalha uma média de 180 horas, é interessante que ele considere que a cada hora de trabalho é preciso pagar R$ 20,00, que é R$ 3.600,00/180.

Some custos diretos e variáveis

Depois de conhecer as despesas fixas, a próxima etapa do cálculo é a estimativa dos custos diretos e variáveis.

Custos variáveis são aqueles que variam proporcionalmente ao volume de trabalho realizado, como a depreciação do uso de equipamentos. Já os custos diretos são aqueles que estão relacionados a execução de um serviço específico, como o gasto com transporte para o local ou aluguel de ferramentas apenas para aquela empreitada.

Também entram como custos diretos o valor da hora de serviço do topógrafo e da sua equipe. Mesmo que ele seja o empreendedor e investidor do negócio, é fundamental que ele não misture a remuneração pelo seu trabalho com o lucro, que será melhor explicado ao final desse cálculo.

Para estimar os custos diretos e variáveis, é preciso se basear no escopo do trabalho e nos dados e premissas levantadas no primeiro passo. Com esses valores definidos, é possível de somar todos esses custos com as despesas fixas já rateadas pelo volume de trabalho e estimar os gastos totais da execução desse serviço.

Não se esqueça dos impostos quando fizer essa conta. Pesquise todos os tributos que se aplicam ao trabalho que será executado e some-os aos gastos totais. Cada região do país pode ter variações alíquotas e impostos diferentes para essa atividade, portanto é interessante se informar com um especialista ou com a prefeitura local.

Feche o cálculo com a estimativa do lucro

Uma vez que todos os gastos estão definidos, é hora de estimar o lucro desta empreitada. Entende-se por lucro não apenas um saldo positivo no controle financeiro da empresa, mas sim o retorno sobre o capital investido no negócio. Logo, a remuneração da hora de trabalho do topógrafo jamais deve ser vista como lucro, mesmo que ele seja o dono e único funcionário da sua própria empresa.

A recomendação é que a margem de lucro de qualquer serviço seja por volta de 20%. Esse valor pode ser ajustado de acordo com o que é praticado no mercado, mas é interessante que jamais fique abaixo dos 8%.

Após a definição do lucro, é provável que o valor de alguns tributos fique ligeiramente maior. Considere esse ajuste no preço final do serviço.

Pesquise os preços de concorrentes

Uma vez que o cálculo foi finalizado, é recomendável comparar o valor do serviço com o que é praticado no mercado. Como existem muitas variáveis envolvidas e nunca um projeto de topografia será totalmente igual a outro, é interessante estabelecer uma unidade básica de comparação.

A dica é dividir o preço total pela área que será estudada, em metros quadrados. Dessa forma, é possível avaliar o custo por m² e comparar com o que concorrentes cobram, lembrando que as variações na complexidade topográfica podem fazer com que esses valores flutuem de R$ 0,10 por m² em uma área relativamente plana e próxima de um centro urbano para R$ 2,00 ou mais em terrenos acidentados.

Com essa comparação aproximada é possível entender se o valor cobrado pelo topógrafo é competitivo em relação ao mercado. Se for muito alto, é interessante avaliar essa estrutura de custos elencada durante o cálculo para descobrir o que pode ser enxugado e se é necessário ajustar a margem de lucro. Tome cuidado ao tentar reduzir gastos, pois muitas vezes isso pode impactar na qualidade do serviço.

Já se o valor for mais baixo que o da concorrência, é possível aproveitar essa vantagem para realizar uma oferta mais interessante ou aumentar os lucros.

E agora que você já sabe como fazer a cobrança de serviços de topografia, aproveite para ficar por dentro de outras novidades do setor curtindo nossa página no Facebook e seguindo nosso Linkedin!

Sobre o autor

CPE Tecnologia

Deixar comentário.

Share This