Equipamentos

Saiba como funciona o uso de Drones na coleta de dados topográficos

Escrito por CPE Tecnologia

Drones e VANTs estão sendo cada vez mais utilizados na coleta de dados topográficos, devido a inúmeras vantagens que oferecem quando comparados com a coleta de dados tradicional.

Neste post, vamos explicar como funciona essa nova forma de levantamento topográfico e quais são as principais vantagens do uso de drones e VANTs. Continue a leitura e fique por dentro do assunto!

O que é levantamento topográfico?

É o processo que visa obter informações da topografia de um terreno, com objetivo de elaborar uma representação gráfica que descreva fielmente o modelo desse terreno.

Essa representação deve apresentar uma série de informações, como curvas de nível, bem como em que pontos existem construções, árvores, aterros, taludes, entre outros.

O levantamento topográfico é feito por meio da coleta de dados utilizando Estações Totais, GPS, Laser Scanner, Drones ou VANTs. Ultimamente, devido a diversos benefícios, esses levantamentos têm sido feitos, em sua maioria, por meio de drones e VANTs.

Após a realização da coleta de dados, as imagens e informações do terreno são transferidas a um software que elabora uma representação gráfica, formando imagens, mapas e modelos 3D do terreno.

O que são Drones e VANTs?

Para entender melhor o que são drones e VANTs, você precisa saber que eles não são a mesma coisa. Os drones são aeromodelos que podem ser usados para fins recreativos e profissionais. Mas também pode ser considerado um veículo aéreo não tripulado- VANT. 

Os VANTs são veículos aéreos não tripulados, ou seja, operam sem piloto a bordo e com carga útil embarcada, assim como os drones profissionais, eles não têm fim recreativo em momento algum.

Como é feita a coleta de dados topográficos?

Mesmo quando a coleta de dados é feita com auxílio de drones e VANTs, existe a etapa de instalação de pontos de controle em solo. Esses pontos são distribuídos ao longo de toda a área e neles são obtidas coordenadas com GPS.

Após isso, o drone ou VANT faz imagens da área a ser levantada. Essas imagens serão transferidas para um computador e depois para softwares especializados em transformá-las em mapas.

Vale ressaltar que a coleta de dados topográficos para a criação ou coleta de ponto de controle pode ser feita por meio de quatro métodos de pesquisa: método estático, rápido-estático, Stop and Go e cinemático. Conheça as características de cada um deles adiante.

Método estático

É caracterizado pelo tempo de posicionamento maior que 20 minutos e é utilizado quando a área apresenta obstruções.

Método rápido-estático

É caracterizado pelo tempo de posicionamento inferior a 20 minutos e também é utilizado em áreas que apresentam obstruções.

Método Stop and Go

É indicado para áreas que não apresentam obstruções e, por isso, apresenta tempo de posicionamento reduzido. O tempo de posicionamento mínimo de inicialização nesse método é de cinco minutos.

Método cinemático

É indicado para o levantamento de áreas não obstruídas, como estradas e córregos. Nesse método, o receptor está em movimento constante, durante todo o percurso.

Por que os drones e os VANTs têm sido utilizados na coleta de dados topográficos?

São inúmeras as vantagens de usar drones e VANTs durante a coleta de dados topográficos. Algumas delas são:

Imagens de alta qualidade

Os drones e VANTs são muito utilizados para a captação de imagens e informações topográficas, uma vez que podem ser equipados com câmeras especiais capazes de coletar imagens de alta definição de uma grande área, em poucos minutos.

Menor prazo

Algumas áreas apresentam difícil acesso ou são muito extensas. Por isso, na maioria das situações, se uma mesma área fosse levantada por estação total ou GPS, poderia levar dias ou até semanas. Porém, ao usar drones e VANTs, o mesmo levantamento leva minutos ou dias.

Menor custo

Além de proporcionar informações rápidas e de fácil uso, o drone ou o VANT não exigem grandes equipes, já que podem ser lançados e controlados por uma única pessoa, reduzindo os custos e aumentando a produtividade.

Alcance a lugares de difícil acesso

Os drones e VANTs são excelentes para locais de difícil acesso e áreas grandes e com muitos elementos, como construções e taludes.

Por esse motivo, drones têm sido muito utilizados para mapeamento de cidades, acompanhamento da evolução de obras, monitoramento de fronteiras, rastreamento de áreas que sofreram catástrofes, entre outras.

Alta precisão

Uma vez que apresentam imagens de alta qualidade e resolução, as informações coletadas pelos Drones são muito precisas. Para obter informações precisas, além da qualidade das imagens é preciso pontos de controle terrestres coletados de forma correta. São registrados volumes de terra, possíveis erosões, taludes existentes, curvas de níveis, construções existentes e locais que apresentam vegetação.

Além disso, também podem ser utilizados outros sensores que captam diversos tipos de informação, como, por exemplo, os sensores termais, que podem realizar inspeções em equipamentos e estruturas.

Captura de todas as informações necessárias

Conforme observamos anteriormente, os drones captam diversas informações, que vão desde curvas de nível a desastres naturais.

Por sua facilidade de acesso a diversas áreas e pela capacidade de capturar muitas imagens em alta definição, os drones são capazes de coletar quase todas as informações necessárias em um levantamento topográfico.

Eles também podem gerar um levantamento mais detalhado que o convencional, pois são capazes de coletar maior quantidade de pontos.

Quais são as etapas necessárias para coletar dados com drones e VANTs?

Utilizar drones e VANTs para a coleta de dados requer alguns cuidados. Primeiramente, para uso profissional, é necessário solicitar autorização de voo para o local de trabalho. Após isso, é importante preparar o plano de voo.

Esse plano, que pode ser feito por meio do software do drone e do VANT, deve cobrir toda a área a ser levantada, bem como contemplar os pontos de controle em solo realizados anteriormente. Nesse momento, é importante confirmar os locais de decolagem e pouso.

Após isso, eles podem ser lançados. O voo deve ser acompanhado em tempo real pelo piloto, por meio do notebook, tablet ou smartphone. Vale lembrar que no Brasil não é permitido o voo sem controle por pilotos.

Após a finalização da captura de imagens em toda a área compreendida pelo plano de voo, as imagens da câmera são descarregadas em um computador e utilizadas pelo software que produz as representações gráficas desejadas.

Agora que você já conhece todas as etapas e vantagens da coleta de dados topográficos realizada com drones e VANTs, aproveite a visita para assinar a nossa newsletter. Assim, você vai receber todas as nossas informações e novidades em sua caixa de entrada!

Sobre o autor

CPE Tecnologia

Deixar comentário.

Share This